Gotinhas no oceano

pessoando entre milhões de seres humanos

Mulher tem DR no ônibus e a conversa cai na rede

Ontem na minha volta pra São Paulo não consegui dormir no ônibus por causa de uma mulher, que resolveu lavar as roupas sujas com seu interesse amoroso pelo telefone, durante a viagem. Após a tentativa falha de cobrir o som com o an awesome wave, do alt-j, e com sorte um cochilo, resolvi tirar os fones e prestar atenção na conversa. Em poucos segundos já me sentia no meio de uma novela, só que uma cheia de cortes e buracos, de forma que você só acompanha o enredo através de uma personagem.

Liguei o gravador do celular e deixei rolar. Eu tinha tentado gravar um vídeo durante o dia para postar aqui no blog, mas não deu certo, e já estava preocupada sobre o quê iria escrever no lugar. Até tenho umas ideias anotadas, mas acho que parte do desafio do BEDA é tirar inspiração de coisas do cotidiano, além de ter a disciplina de publicar todos os dias.

Depois de sete longos minutos de gravação a moça desligou, e eu fui deixada para meus pensamentos. Será que seria ético transcrever a conversa? E disponibilizar aqui, onde qualquer pessoa pode entrar? Fazer fofoca virtual de quem eu nem conhecia? Ser esse tipo de jornalista, que vê o mundo como uma fábrica de pautas, e escreve sobre intimidades que não são suas?

Expus o dilema para umas colegas de curso, e elas confessaram que já tinham feito coisas parecidas. E aí cheguei às conclusões de que 01 eu não sei quem é a moça, portanto é impossível identificá-la a partir do texto; 02 a conversa era tão genérica que não denunciava ninguém, podia inclusive ter sido inventada; 03 até mesmo ficções são baseadas em experiências reais, é assim que a criatividade funciona e 04, ela falava alto o suficiente para qualquer pessoa em volta ouvir, portanto não se importava tanto com privacidade. E quer saber? Ela me deixou com raiva pela falta de consideração. Então me vinguei expondo sua briga. Se quiser ler, está aqui: http://wp.me/p53Jmo-J.

Eugene_de_Blaas_The_Friendly_Gossips

“The Friendly Gossips”, por Eugene de Blaas.

 

Anúncios

Um comentário em “Mulher tem DR no ônibus e a conversa cai na rede

  1. Rafael G. L. Andrade
    abril 9, 2015

    revenge post

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às abril 6, 2015 por em Uncategorized e marcado , , , , , , .
PODE GRITAR

A Literatura dá voz às vítimas de abuso sexual.

{café e rivotril}

quando as confissões se libertam

coisas desiguais.

on the road, coisas desiguais

Eu, tu, elas

Feminismo na prática

Crias da Terra

Magia natural, tarot e amor

%d blogueiros gostam disto: